INTERVENTOR FAZ BALANÇO DA SITUAÇÃO DA SUZANTUR PDF Imprimir E-mail

Frota reduzida, pneus carecas, câmbios quebrados, motores sem correia e almoxarifado vazio, falta de peças de reposição, além de funcionários com aviso prévio, foi a situação encontrada por Richard Jorge, interventor nomeado pela Prefeitura de São Carlos para fazer a gestão da Suzantur durante 180 dias, prazo estabelecido no Decreto Nº 8 publicado no último dia 23 de janeiro no Diário Oficial do Município.

 

Dos 110 ônibus que deveriam estar na garagem da Transportadora Turística Suzano Ltda (Suzantur), apenas 84 foram encontrados, porém mais de 10% com problemas mecânicos ou elétricos. “Hoje operamos com 64 a 75 veículos por dia. Quando conseguimos tirar alguns da oficina e fazer rodar conseguimos colocar até 75 veículos em circulação, mas na maioria dos dias não é isso que acontece. A oficina sempre está lotada, no mínimo com 9 veículos por dia. Tudo isso porque a manutenção preventiva não vinha sendo realizada”, conta o interventor lembrando que o almoxarifado estava vazio, sem nenhuma peça de reposição e que no momento muitas empresas não querem vender para a Suzantur.

 

Para atender as 56 linhas regulares integralmente a atual gestão da Suzantur diz ser necessário o aluguel de mais 20 veículos, sendo 1 para o serviço porta a porta e dessa forma somar 104 carros, cumprindo o que estabelece a justiça. “Com a frota que estamos operando não atendemos as linhas com o número de veículos suficientes, por isso priorizamos sempre as linhas com maior demanda, caso da região do grande Cidade Aracy”.

 

A intenção da empresa é alugar os veículos e os validadores, aparelho que faz a bilhetagem, já que são equipamentos muito caros. “Vamos procurar no mercado para alugar os validadores e integrá-los ao sistema que já está sendo utilizado. A Suzantur quando chegou a São Carlos adquiriu os validadores da Athenas Paulista”, comenta o interventor.

 

Salários – Na última quarta-feira (7), a Suzantur efetuou o pagamento dos funcionários da ativa no valor de R$ 271.970,00 e nesta sexta-feira (9) realiza o pagamento dos dias trabalhados dos funcionários que se desligaram da empresa, mais R$ 146.559,00, totalizando, portanto uma folha no valor de R$ 418.529,00.

 

Todos os recursos utilizados para o pagamento dos funcionários são provenientes do que foi repassado pela Busfácil e do dinheiro da catraca. Com a frota atual a média diária de arrecadação na catraca é de R$ 30 a R$ 35 mil por dia útil. “Não tem dinheiro público, a Prefeitura não disponibilizou recursos, pagamos com o que a empresa arrecadou com a bilhetagem e isso não poderia ser diferente”, ressalta Richard Jorge.

 

Questionado sobre o que foi encontrado no cofre da empresa no dia da intervenção, Richard Jorge garante que somente R$ 13.970,00. “Ficamos sabendo que pouco antes de chegarmos à Suzantur a empresa de transporte de valores já tinha zerado o chamado caixa inteligente, recolhendo R$ 90 mil.

 

Segundo Ademir Souza e Silva, na época chefe de gabinete da Procuradoria Geral do Município, o valor recolhido pela empresa pode chegar na casa de R$ 300 mil. “O que estava na Busfácil no dia também foi recolhido”.

 

Hoje a Suzantur trabalha com 352 funcionários, sendo que 145 são motoristas. Após o aluguel de mais 20 veículos, outros 50 motoristas serão contratados.

 

(09/02/2018)

 

Menu Notícias