» CAPS-AD JÁ ACOLHE 34 PACIENTES EM SÃO CARLOS PDF Imprimir E-mail
Qua, 26 de Julho de 2006 06:48

Programa Viva Vida já atende mais de 30 pacientes.

Oficina de bisqüi.Fátima Piccin.Espaço para atividades físicas e relaxamento.
UNIDADE ATENDE CRIANÇAS E JOVENS USUÁRIOS DE DROGAS

Em pouco mais de 50 dias de funcionamento, o Programa Viva Vida do Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e Drogas (CAPS-AD), coordenado pela Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde em parceria com as secretarias Especial da Infância e Juventude, Educação e Cultura, Esportes e Lazer, Cidadania e Assistência Social, Fundação Educacional São Carlos (FESC) e Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, já atendeu 34 crianças e jovens de 7 a 17 anos, usuários de álcool e outras drogas.

O programa foi implantado pela Prefeitura em junho deste ano, tendo por finalidade prestar atendimento médico, psicológico, psiquiátrico e de assistência social aos pacientes com vários estágios de dependência visando sua socialização e recuperação. O tratamento é oferecido nas modalidades intensivo (diário), semi-intensivo (algumas vezes por semana) e não intensivo garantindo que os usuários recebam atenção e acolhimento. Aos intensivos, além do tratamento terapêutico, também são oferecidas refeições.

O atendimento no CAPS-AD, aberto e sem internação, é feito durante o dia, de segunda a sexta, das 8h às 18h. Os pacientes chegam ao programa encaminhados através das unidades básicas de saúde, por instituições sociais, como o Núcleo de Atendimento Integrado (NAI), o Conselho Tutelar, ou por busca espontânea da família ou do adolescente através do conhecimento sobre o funcionamento do programa pela imprensa.

Chegando ao CAPS-AD, uma enfermeira, psicóloga, assistente social ou terapeuta ocupacional faz a acolhida e escuta imediata de chegada do paciente ao centro. “O momento do primeiro contato é muito importante para adesão do adolescente ao programa e o centro tem buscado, de acordo com as demandas, fugir do agendamento porque pode perder a oportunidade de conquista do paciente, já que a procura pelo atendimento em muitos casos é espontânea”, explica a coordenadora do CAPS-AD, Fátima Piccin.

Alguns passam o dia no centro, com tratamento intensivo, com atividades em oficinas de bisqüi e bijuteria, vídeos educativos, atividades esportivas na área de ambiência, entre outros. As oficinas são criadas de acordo com o interesse dos usuários; uma das próximas deve ser a de reciclagem, e já foi identificado também um interesse muito grande na área de música e dança, predominando o estilo hip-hop.

“O ponto forte do trabalho nestes dias foi o acolhimento e a conquista do adolescente. A partir de agora estamos oferecendo atividades que auxiliem no processo de recuperação do paciente”, diz Fátima. O trabalho conta com apoio importante de outras entidades, como o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente, que cede profissionais como psicóloga e assistente social, material para as oficinas e auxílio dos cursos de capacitação da equipe do centro.

Neste segundo semestre, ainda de acordo com Fátima, cinco adolescentes serão encaminhados para a Fundação Educacional São Carlos (FESC) para participar de cursos profissionalizantes nas áreas de informática, elétrica, cabeleireiro e manicure. Houve também uma reunião na Delegacia de Ensino para estudar um plano para reinserir alguns adolescentes que estão fora da escola. Os casos serão analisados individualmente, porque alguns deles, com idade defasada, precisam ser encaixados na suplência.

Ainda dentro do projeto terapêutico, que tem um contexto específico para cada usuário, é desenvolvido um trabalho com a família: terapia familiar (atendimento individual e/ou em grupo) e reuniões semanais de aconselhamento e orientação com propostas abertas de discussão da temática que envolve o adolescente.

Os profissionais do CAPS-AD – assistente social, enfermeiro, terapeuta ocupacional, auxiliar de enfermagem, educador social, psicólogo e médicos psiquiatra e clínico – receberam treinamento e aperfeiçoamento com dinâmicas teórica interna com apoio e parceria da Secretaria da Infância e Juventude e do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente através de oficinas de capacitação com palestras de profissionais da área.

O CAPS-AD está localizado na rua Major José Inácio, 2.381. Outras informações pelo telefone 3307-8368.

(26/07/06)
 
 

SIM Online